O comércio eletrônico, ou lojas on-line, tem tido um verdadeiro boom nos últimos anos. Graças à Internet, milhares de pessoas fizeram da gestão de um site que vende vários produtos seu trabalho e sua força. Alguns comércios eletrônicos, como a Amazon, tornaram-se gigantes mundiais; no Brasil há muitas lojas na Internet e entre 2019 e 2020, de acordo com uma pesquisa estatística, o comércio eletrônico dobrou e atingiu um faturamento de 41,92 bilhões de reais.

O comércio eletrônico é uma mina de ouro? Para aqueles que sabem como administrá-los, sim. Você tem que ter um olho, uma visão, a capacidade de entender quais serão os produtos mais modernos para escolher vendê-los on-line. O comércio eletrônico pode lidar com a venda de roupas, calçados, livros, produtos de informática. Eles podem ser específicos para um tipo de produto, comércio eletrônico corporativo ou grandes marketplaces, tais como Amazon ou Magazine Luiza . E-commerce Há o comércio eletrônico que trata da venda de serviços para o turismo, de móveis, outros que tratam da venda de muitos produtos diferentes, como a Amazon e a MercadoLivre. Em resumo, este enorme mercado oferece muitas oportunidades de ganhar dinheiro, embora você tenha que ter cuidado agora que os grandes (MercadoLivre e Amazon, para citar dois) estão conquistando enormes fatias do mercado, mesmo na entrega de alimentos em casa. Entretanto, para aqueles que já possuem uma pequena loja, é possível arriscar e investir algo no comércio eletrônico antes de declarar-se fora do mercado.

Mas você tem que ter cuidado: administrar um comércio eletrônico não é fácil por definição, e você tem que tentar evitar os erros mais típicos que podem acontecer nestes casos. Um dos maiores erros cometidos por aqueles que acabam de abrir um comércio eletrônico é esperar que os clientes venham sozinhos. Ao invés disso, devemos nos concentrar na promoção do serviço, mas acima de tudo, é preciso oferecer um serviço de qualidade e personalizado que não se perca entre as miríades de propostas que existem no mundo.

Um comércio eletrônico não é improvisado: você tem que estabelecer um plano de negócios (e ter um orçamento para promovê-lo), criar um site agradável e bem navegável (mesmo ao custo de sacrificar o design), oferecer muitas opções de pagamento diferentes, tentar oferecer um serviço da mais alta qualidade possível (ou seja, ampla escolha de produtos on-line, envio rápido e possivelmente gratuito para atrair as pessoas a comprar). A chave para o sucesso do comércio eletrônico, além dos pontos mencionados acima, é promover-se, publicitar-se, possivelmente contatando profissionais para fazê-lo.